sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Resenha de Livro: Dragões de Éter – Caçadores de Bruxas (Vol.1)


Olá leitores do Blog Ex Libris! Desculpem o atraso. Era para eu ter postado a resenha ontem, quando ainda era o Dia da Invasão, mas não consegui terminá-la a tempo (fui ver Amanhecer – Parte 2). Espero que gostem! Ah, não se esqueçam de nos seguir nas redes sociais e no Google Friend Connect.

“Viajaremos agora. Também iremos mexer no tempo e no espaço pois, se narramos uma história em um local etéreo que só existe porque semi-deuses pensam nele, também o fazemos no passado, em eventos de sagas que já aconteceram até o momento.

Confie em mim, vamos, venha.

E um, e dois.

E três.”

Talvez, “Caçadores de Bruxas” tenha sido um dos meus livros preferidos lidos durante esse ano, apesar de tê-lo feito devagar e de ter algumas ressalvas. Quando eu não tenho alguma, não é mesmo? 

O primeiro volume da trilogia “Dragões de Éter”, foi escrito pelo autor brasileiro Raphael Draccon de 31 anos. Fez bastante sucesso quando lançado em 2007, vendendo toda sua tiragem inicial sem ação alguma de marketing. O livro permaneceu durante seis meses entre os mais vendidos da editora somente com os comentários entusiasmados entre leitores fãs de fantasia. Tenho a segunda edição do livro, onde encontrei essas informações, que, de cara, já me deixaram com altas expectativas em relação à história. E posso afirmar: Não fiquei decepcionado!

Em um âmbito geral, o livro se passa num mundo chamado Nova Ether. Um mundo controlado e pensado por semideuses que interferem na vida das pessoas através de diversos testes. E, como em todo teste, as pessoas podem receber uma boa nota e serem recompensadas ou uma nota ruim, e serem castigadas. Raramente esses semideuses aparecem nas vidas dos nova-etherianos. Mas, quando isso ocorre, se dá através de avatares denominados de fadas. Algumas delas não resistiram a certas tentações. Época na qual da magia branca surgiu a negra, e fadas tornaram-se bruxas. 

A história é narrada em 3ª pessoa, e acreditem: esse narrador faz de tudo. Volta no tempo, retorna ao presente, para o tempo... É tudo muito maluco. E o melhor de tudo é que você não fica perdido no meio de toda essa maluquice. Além disso, o narrador dá sua opinião sobre a história e sobre as escolhas dos personagens. Eu amei o modo como Raphael construiu a narrativa desse livro. Foi algo novo, refrescante no meio de tanta coisa igual que eu vinha lendo. Ela me surpreendeu demais e me deixou muito animado, depois que me acostumei claro, pois no início foi meio estranho. Além disso, a obra é muito bem escrita. Concordo com Pascoal Soto, editor do livro: Draccon é “um bardo do nosso tempo”. 

Como o narrador é observador, diversos personagens possuem destaque. Uns mais e outros menos durante o decorrer do livro. Essas personalidades centrais residem em Andreanne, capital do reino de Arzallum, que se encontra no continente do Ocaso. O reino é liderado por Primo Branford, um antigo plebeu que assumiu o poder após seu papel decisivo em uma caçada às bruxas ocorrida 20 anos anteriores ao presente da história. Primo é casado com a rainha Terra, uma antiga fada que se apaixonou por ele, e possui dois filhos: Axel e Anísio Branford. O primeiro mais se identifica com a plebe e é praticante de pugilismo, um esporte de luta muito praticado pelos plebeus. Já o segundo mais se interessa pelos assuntos do reino em geral, e, por isso, se tornou o principal herdeiro do trono de Arzallum. 

Após a caçada as bruxas, o reino viveu um período de grande prosperidade e paz. Porém, essa paz é perturbada quando acontecimentos estranhos começam a ocorrer. Ariane Narin vê a avó ser devorada por um lobo marcado por magia negra e tem sua vida mudada após uma série de revelações sobre a origem de sua família. João e Maria Hanson são enfeitiçados por uma bruxa canibal e quase se tornam parte de um horripilante ritual negro. Príncipes tornam-se sapos. E piratas conhecidos têm o plano de embarcar no continente do Ocaso. 

Particularmente, fiquei mais curioso em relação às histórias de Ariane, João e Maria, meus personagens favoritos. Os três pertencem à plebe e são muito amigos. A cada capítulo eles me intrigavam e impressionavam mais. As partes protagonizadas por Axel não me interessaram tão quanto. O personagem não me cativou tanto como os outros, assim como os piratas. Na verdade, um componente do grupo de piratas foi me ganhando aos poucos. Seu nome é Snail. Ele acaba se tornando um personagem muito importante para o desenvolvimento da trama e seu caráter duvidoso nos deixa em dúvida em relação às decisões que ele irá tomar. 

Outro fato que me incomodou foram algumas falas de Ariane e João. No livro, eles são adolescentes e, por isso, utilizam diversas gírias, muito ultrapassadas, por sinal. Isso me incomodou um pouquinho, porque nunca gostei muito de gírias, ainda mais de lê-las em livros. 

No final, as histórias de todos os personagens principais se interligam de uma forma impressionante. Não esperava que tais coisas ocorressem. Foi tudo muito maravilhoso. Praticamente tudo é explicado, deixando poucos ganchos para o próximo volume da trilogia. 

Adorei a edição que adquiri (2010). É muito linda e acho-a mais estilosa que a edição lançada em 2007. Além disso, a capa de 2010 cria um padrão seguido pelos volumes seguintes. No ano de 2011, foi lançada a edição portuguesa, mas ainda prefiro a brasileira de 2010. =D 

Não sei se consegui passar a grandiosidade da obra através da minha resenha, mas tentei. Raphael cria um mundo tão etéreo e ao mesmo tempo tão palpável que fica difícil descrever as sensações que tive ao ler o livro. Enfim, o classifico como ótimo, e não excelente porque não me interessei igualmente por todos os personagens e suas histórias, além das gírias utilizadas. Indico muitíssimo o livro desse brasileiro. Quatro estrelas e meia!

PS: Super ansioso para ler o próximo livro da trilogia chamado “Corações de Neve”. 

PPS: Existe um site oficial da série, http://www.dragoesdeeter.com.br/, e também um blog oficial de Draccon, http://www.raphaeldraccon.com/blog/

Abraços,
T. L. Lima. 

8 comentários:

  1. Se conseguiu passar a grandiosidade da obra na resenha? SIM OU CLARO? Óbvio!
    Amei sua resenha, tão detalhada e mesmo assim não senti que de algum modo passou spoilers. Bem, não sei, ainda não li o livro.. mas acho que não né..
    Sempre tive vontade de ler, mas sempre achava outros em promoção.. então rsrs
    Mas eu já vou colocar a série na minha meta de 2013.. por causa da sua resenha viu. Gostei muito, parabéns!

    Beijos ;**

    http://geek-pop.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha *_* Muito obrigado!
      Tentei ao máximo não passar spoilers. Acho que não passei nenhum.
      Coloque MESMO na sua meta. O livro é ótimo!
      Beijos!
      T.L.Lima

      Excluir
  2. Muito boa a resenha!Nossa ansiosa para ler o livro!Amei de mais!Já está na lista (gigante rsrs)de livros que tenho que ler!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossas listas gigantes... AUSHAUSHAUS
      Enfim, espero que leia o livro! *_*
      Beijos,
      T.L.Lima.

      Excluir
  3. bem legal a resenha, tbm to afim de ler esse livro!!esse estilo de livro parece ser bom, acho q vou gostar muto dele!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No começo até estranhei o estilo, mas depois adorei cada vez mais. Muito bom mesmo!
      T.L.Lima

      Excluir
  4. Eu não conhecia esse livro e amei a sua resenha, pois você me fez compreender um pouco a história e é claro que vou querer ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha! *-*
      T.L.Lima

      Excluir